Mr. Hoppy

Voltamos! Tirei um ano sabático (mentira, a crise do coração valente me obrigou. Lazer gastronômico nas terras onde cantam o sabiá não tá sendo prioridade mais), mas resolvemos voltar.

Como somos caçadores de hambúrguer, o post de hoje vai ser desse assunto gostosinho de esquentar o estômago e acalmar nossos corações.

Li uma matéria contando de uma nova hamburgueria de Belo Horizonte. Preço, R$ 10,00. A casa se chama Mr. Hoppy e é de Curitiba, mas resolveu se aventurar também pelo nosso lindo belo horizonte.

Chegamos no local e tinha muita gente na porta. Eu, que não sou paulista, morro de preguiça de uma fila, mas ok, meu lado desbravadora falou mais alto e ficamos na porta aguardando alguém nos receber e colocar o nome na lista. Nesse meio tempo, várias pessoas que estavam perto da gente, resolveram ir embora.

Para minha surpresa, o garçom veio me contar que lá não tem fila de espera, você que tem que ficar esperto e arrumar um lugar. E que o clima é assim mesmo, “descontraído”. A ideia da casa é você ficar em pé, conhecer outras pessoas.

Ainda falamos com o garçom que teve um tanto de gente que estava perto da gente e foi embora por causa disso, mas a resposta dele foi “mas aqui é assim, fica aqui quem quer”. Achei estranho, não seria exatamente a resposta que eu daria para um cliente, mas, como diz Lulu Santos, tudo bem.

O problema é que meu coração é tradicional. Essa liberdade demais, não me agrada. Dividir mesa com quem eu não conheço não me agrada. Disputar lugar no tapa não me agrada. Ter que comer na sala de televisão não me agrada, então ter que comer um hambúrguer em pé estava fora de cogitação.

E assim, eu não sou solteira, não saio para conhecer ninguém, mas não me imaginaria fazendo isso entre uma mordida de cheddar com bacon escorrendo pelo meu bracinho. (Porque bons hambúrgueres se comem assim, vamos ser sinceros).

Depois de um tempo traçando a estratégia de dominação, achamos uma beirinha de bancada livre, pegamos uma cadeira em uma mesa distante e eu pude sentar (UFA!). Lucas foi pedir os hambúrgueres. Escolhemos o Barbie Kill e o Blue Moon, ambos R$ 10,00.

img_1333

Eu queria pedir uma batatinha – acho um crime comer hambúrguer sem batata -, mas ela custava os mesmos D-E-Z R-E-A-I-S que os hambúrgueres. Na boa, não sei se essa batata é da monarquia mas, para mim, batata não vale o mesmo que carne, pão, molho e cebola crispy.

Sobre bebidas, lá tem vários chopps que custam na faixa de R$ 10,00 a uns R$ 20,00. Eu que não bebo chopp achei digno.

Pedidos feitos, imaginamos que não iria demorar – afinal, a casa meio que te obriga a ficar em pé, né? Lucas, por exemplo, teve que ficar em pezinho aguardando.

Passaram 15 minutos – tá demorando, né?; Passaram 25 minutos – nossa, não tem condição de esperar em pé nesse lugar; Passaram 30 minutos – uai, mas esse moço chegou depois da gente e já tá comendo; Passaram 40 minutos – Garçom, já pedimos há muito tempo, tem como você olhar se tá saindo? “É assim mesmo”, respondeu o garçom do “mas aqui é assim, fica aqui quem quer”.

Eu disse que meu coração é tradicional, ne? Pois é, corações tradicionais gostam de ser bem atendidos quando saem de casa. E não gostam de esperar 1 hora pra comer um pãozinho com carninha.

Passaram 55 minutos. Chamamos o dono do restaurante pra contar o que estávamos passando. Ele, muito simpático, inclusive, pediu mil desculpas e falou que estavam com problema na cozinha, que abriram há pouco tempo e que iria verificar imediatamente o que aconteceu.

Passou 1 hora e sim, BRASIL, eles chegaram!

img_1335

Achei pequeno o hambúrguer, mas custa R$ 10,00, não dá para esperar um Quarteirão, não é mesmo?

Estava gostosinho. Mas achei isso, gostosinho. Pro preço que custa, é gostoso. 

A carne é de verdade (porque fast food, na minha opinião, é de mentira); o hambúrguer estava no ponto perfeito, mas faltou aquele tcham a mais (tá, a gente é exigente com hambúrguer.

Vale R$ 10,00? Tranquilamente.

Vale o desgaste que passamos? Não.

Na minha opinião, BH não é uma cidade que você passa rapidinho em um lugar e vai embora. A gente não gosta de comer em pé, a gente não gosta de ser mal atendido e a gente prefere pagar mais caro para corrigir todos os itens citados acima.

(No final da história o dono devolveu nosso dinheiro, pediu desculpas e falou pra gente voltar. Eu gostei dele, achei a atitude legal, mostrou que ele se interessa e ficou triste com o desenrolar da nossa noite. Gosto de pessoas que se importam).

Local: Mr. Hoppy

Endereço: Rua Montes Claros, 495 – Carmo, Belo Horizonte

Site: http://www.mrhoppy.com.br

Nota: 2/5

Texas Steakhouse

foto 1

É só ver fotos de um hambúrguer grande que a gente sai correndo atrás. Com o Texas Steakhouse não foi diferente.

A casa é nova e abriu as portas na região do Santa Lúcia, fica ali na frente do espetinho do Elvis, sabem?

Então, vou ser sincera e relatar toda a minha experiência.

Em primeiro lugar um bomba dramática, eu sou chata pra comer! Sim, a pessoa que vos escreve, que vive de comida, que respira receitas, que pensa gordo, é extremamente chata para comer.  (Isso fará sentido lá na frente, não estou aqui apenas fazendo um desabafo).

Continuando…

Cheguei na casa e meu primeiro comentário foi: A pessoa que abre uma casa de hambúrguer em BH é muito doida pra achar que consegue competir com Duke e Deli, né?

Chegamos, sentamos e fui olhar o cardápio. Duas impressões:

foto 3 (1) foto 2 (1)

– Não achei nenhum hambúrguer que eu gostava, todos tinham picles ou maionese. Não como nenhum dos dois. Olhei o cardápio do inicio ao fim várias vezes e já estava querendo ir embora, é que a maioria das vezes eu fico em dúvida entre uns 5, e ali não tinha nenhum que eu gostava dele inteiro.

Segundo ponto era muito barato. Tipo um hamburguer que custa entre R$ 15,90 e R$ 23,90 não pode ser bom (tem um só que é mais caro e custa R$ 27,90). Já fiquei imaginando aquela carne que não é carne, batata congelada, molho ruim.

Quis novamente desistir, mas somos bravos e fortes.

Conversei com o garçom e fiz o seguinte pedido:

– Moço, eu quero Dallas sem salada e sem maionese , extremamente mal passado, tipo tchi, tchi (barulho da chapa quente em contado com a carne), mas quentinho, ok? E uma Coca sem gelo e sem limão, por favor. (Um ps: eles fizeram todas as alterações que eu quis no sanduíche tranquilamente, achei isso muito bom)

Depois que fiz o meu pedido senti um pouco de vergonha de mim, confesso, havia tantas particularidades num simples hambúrguer com Coca Cola que eu tinha certeza que algo não daria certo.

O Lucas, por outro lado pediu um Houston e um Chopp (mais simples que eu).

Começamos a esperar e não foi muito demorado.

Ah, antes que eu me esqueça, chegamos lá num sábado a noite tipo 22h e tinha lugar! OH GLÓRIA! Isso é raro, sabia? Fico feliz quando não tenho que esperar.

Primeiro chegou a bebida, tudo ok! Ponto positivo

foto 4 (1)

Ai chegou o hambúrguer. Eu estava nervosa, muito nervosa! Eis que chega um hambúrguer GIGANTE na minha frente, olhei pra carne e vi um ponto rosado (festejei), olhei mais de perto e percebi que efetivamente era carne (apesar do preço), celebrei! Olhei para a batata e ela era de verdade, nada de babatas congeladas, até lagrimejei!

ERA REAL!!!

Fui provar o sabor, chorei!

SENSACIONAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Primeiro lugar, a carne ela é macia e suculenta! Muito suculenta! Nunca fiz tanta bagunça na minha vida pra comer, acho que usei todos os guardanapos da mesa, mas quanto mais eu me sujava mais feliz eu ficava (mas eu deveria ter pedido talheres, vacilei). Dentro do meu pedaço de mal caminho haviam duas cebolas caramelizadas que davam uma diferença incrível no sabor.

Olha vou falar uma coisa que é muito séria, muito mesmo. Mas pela primeira vez eu comi um haburguer com preço bom que o sabor chegou no mesmo patar no Deli e Duke. NO MESMO PATAMAR!!!!

Eles não são, na minha opinião, o melhor da categoria deles que é diferenciada e abaixo das duas melhores hamburguerias de BH, mas estão na mesma classe do meu lugar preferido.

foto 5

O do Lucas eu não provei, mas parecia muito bom também., como vocês podem ver.

Conclusões da noite e do post:

– Eu não consegui terminar o meu hambúrguer, não porque ele não era bom, mas porque ele era gigante!

– Fui muito feliz e quis chorar no final

– Comeria em quantidades absurdamente absurdas

– Tem Coca

– Minha conta ficou em R$ 27,00

– Fui feliz

– Voltarei várias vezes

– Recomendo lindamente

– Eu sou sincera, acreditem em mim

Facebook: https://www.facebook.com/texassteakhousebh

Endereço: Rua Halley 777 Santa Lúcia

Receita de Hambúrguer Caseiro

ATUALIZAÇÃO: 

Sorteio de um Livro de Receita personalizado de 3 meses do blog! Do dia 23/06/2012 até o dia 06/07/2013 às 12:00!

https://parafalaraverdade.wordpress.com/2013/06/23/sorteio-do-livro-de-receita/

Corra e concorra ao seu!

Imagem

Eu sou completamente apaixonada por carne, então nunca fui muito fã de hambúrguer. Para mim Mc Donalds comete atrocidades ao prensar uma carne e torrá-la até não poder mais. Além de que aquilo não tem gosto de carne, de tantos conservantes, né?

Por muito tempo, então, eu achei que não gostava de hambúrguer, pois só conhecia isso por fast food (ecas eternos!)… Até que eu conheci o DUKE N´ DUKE! Provei meu primeiro primeito pedaço naquele lugar e minha vida mudou! A carne é alta, super macia e tem gosto de carne de verdade. Depois desse dia, comecei a me interessar mais por esse prato. (Calma! Logo, logo vem um post sobre o Duke!)

Certo dia, eu estava assistindo TV em casa e passou no GNT uma receita de hambúrguer! Não tinha como não testar, né?

E não é que deu super certo? Eu amo sair para jantar, mas cozinhar em casa e fazer o meu prato do jeito que eu gosto é incrível! Eu não curto salada, então, para mim, hambúrguer  é algo mais simples, mas quem gosta vai incrementando até virar uma perdição!

E é claro que sem batatinha não combina!

Vou passar aqui a receita, com algumas adaptações feitas por mim:

Para as batatatinhas:

Ingredientes:

3 batatas médias

2 colheres (sopa) de azeite

Sal (a gosto)

Modo de preparo:

Preaqueça o forno em 200ºC (temperatura média-alta). Lave bem, seque e descasque as batatas. Com ajuda de um mandolin (fatiador de legumes) – alguém realmente sabe o que é isso? Juro que acho que o Lucas inventou essa palavra! – fatie as batatas. Transfira para uma tigela, regue com 1 colher (sopa) de azeite e misture bem. Em duas assadeiras antiaderentes, pincele azeite e distribua as rodelas de batata. Pincele a batata com azeite, tempere com sal e leve para assar por 20 minutos.

 (Nota do blog: pra cortar as batatas, nós usamos o multi processador da Walita, daqueles que fazem suco, massa, doce, pão, lavam, passam e cozinham. Você consegue ajustar a espessura que você quer o corte e fazer a batatinha do jeito que você gosta, mais fininha ou mais grossa, além de dar muito menos trabalho que fatiar batata por batata.)

Para o hambúrguer de 180g:

Ingredientes:

720g de fraldinha moída com gordura (se preferir, use metade de peito de boi moído. Cerca de 20% do volume total é a melhor proporção de gordura para carne de hambúrguer. Uma carne muito magrinha produz um hambúrguer ressecado)

2 colheres (sopa) água

2 colheres (sopa) azeite

Sal (a gosto)

Pimenta-do-reino moída na hora (a gosto)

Modo de preparo:

Em uma tigela, coloque a carne, a água, o azeite e misture rapidamente com as mãos. Divida em 4 bolas (180 g cada) e achate, formando o hambúrguer. Coloque sobre uma superfície plana e vá acertando as laterais (empurrando para dentro). A ideia é formar uma paredinha reta para o hambúrguer ficar alto. Lembre-se de que ele encolhe ao cozinhar, por isso, deve ficar um pouco maior do que diâmetro do pão. Com o polegar, faça uma marca bem no meio da carne – quando ela cozinha, dá uma inflada e, sem a marca, o hambúrguer fica abaulado. Se não for cozinhar na hora, leve para a geladeira, a carne deve estar bem fria.

Espalhe um pouco de azeite numa frigideira grande e antiaderente, que tenha tampa. Leve ao fogo alto. (Caso não tenha uma grande, use duas frigideiras ou faça em etapas, retirando os dois primeiros hambúrgueres 2 minutos antes do tempo e transferindo para o forno, sobre o pão. Assim eles terminam de cozinhar enquanto você prepara os outros dois.) – Pausa dramática aqui! Não coloque em uma frigideira muito quente vários hambúrgueres, pois ele “roubam” o calor e aí tudo esfria. Carne boa é feita em frigideira de ferro, bem quente, uma por uma! QUEM DISSE QUE FÍSICA NÃO SERIA MAIS USADA – . Tempere generosamente com sal um lado dos hambúrgueres. Vire e tempere o outro lado. Se quiser, tempere com pimenta-do-reino moída na hora. Quando a frigideira estiver pelando, transfira a carne e tampe. Deixe dourar por 1 minuto e vire. Para um hambúrguer mal passado, deixe no total 4 minutos, virando de minuto em minuto. Para o hambúrguer ao ponto, são 6 minutos no total. (Nota do Blog: Esse tempo pode variar de acordo com o fogão, a panela, a qualidade da carne, etc).

Observações:

O sal deve ser colocado no final, já na hora de fritar o hambúrguer, pois se misturar o sal com a carne ele fará perder água, deixando-a menos suculenta; (Nós não queremos isso!)

– Troque o tipo de queijo, faça com Cheddar, Brie, Muçarela;

– Procure receitas de molhos e incremente o hambúrguer;

– Se curtir coloque tomate, alface, picles, ovo frito;

– Se não quiser viver mais muitos anos mesmo, compre fatias de bacon, frite e coloque no hambúrguer!

– O pão ser de qualidade faz muita diferença, então para um hambúrguer gourmet compre uns pãezinhos legais no Verde-Mar.

– Decore sua casa de anos 50, espalhe fotos de coca pela casa, compre copos vermelhos e se sinta em uma lanchonete dos EUA! Entrar no clima faz bem pra brincadeira!

A receita original, além de outras receitas maravilhosas, você encontra no site do GNT: http://gnt.globo.com/receitas/Hamburguer-ao-molho-de-mostarda-sobre-galetes-de-batata.shtml

Imagem

Bom apetite!

DICA: A carne pode ser comida a noite e sem peso na consciência! Proteína é bom para todo mundo e é indispensável,  até para aqueles que, como eu, estão de regime! (Não estou dizendo que é de boa enfiar a cara no filé todo dia! haha).

Então quem quiser fazer a receita durante a semana, mas não quiser sair do programa especial e light , faça o hambúrguer no grill sem óleo (dá certo, ele não gruda!), compre um pão integral (feio, ruim, mas ajuda a emagrecer) e ao invés de queijos gordurosos coloque um queijo minas light!

Assim teremos um lanche gostoso, que sai da rotina e não deixa ninguém triste por ter quebrado a dieta durante a semana!

PERFEITO!

Elvis King Pub

.Imagem

Hoje falaremos do Elvis King Pub, um restaurante TEX-MEX que abriu em BH.

Não sei se sou meio boba, mas amo restaurantes desse tipo – temático. Gosto de, ao entrar por uma porta de restaurante, me transportar para outro lugar e esquecer que eu continuo dentro da minha cidade.

O lugar tem a decoração mais linda do mundo, cheio de mesas com sofás vermelhos e umas cadeiras lindas – (sou dessas que repara em cadeiras) As paredes são azuis, cheias de quadros do roqueiro e pôsteres relacionado com a cultura mexicana, e no fundo do restaurante tem um palco para shows (quando rolam, é cobrado um valor de R$ 10,00 de couvert artístico).

Em relação à comida, o forte da casa é a culinária Tex-Mex e os hambúrgueres. Ao ver o cardápio, me apaixonei por uma entrada: uma tábua com onion rings, bufallo wings e fried mozzarella, com 3 molhos diferentes, isso tudo por 25 reais! Já quero!  Infelizmente, esse paraíso na Terra só é servido durante o Happy Hour, que dura até as 20h. Como já fui lá mais de uma vez (eu amei de verdade), já provei várias coisas no cardápio.

Então, vamos às explicações:

Imagem

– Fried Mozzarela – são tiras de mussarela fritas, acompanhadas de um delicioso molho Marinara!  É delicioso! Só tem dois pontos negativos: é bem gorduroso (não da para querer diferente um queijo frito, né?), e é um pouco sem sal, mas acho que o molho Marinara serve para balancear. A porção é bem grande e custa R$ 16,00. –

Imagem

-Hambúrguer Blue Moon (hambúrguer de carne com queijo gorgonzola!) – A carne veio mal passada, do jeito que eu pedi, com aquele gosto maravilhoso de gorgonzola, cebola no ponto certo, tomates picados e quase nada de alface – (gordinha é assim). O tamanho é excelente, e custa R$ 23,00.

Imagem

– Veggie Quesadilla –   A quesadilla é um prato mexicano feito de uma tortilla crocante de farinha ou milho, recheada, normalmente, com queijo, vegetais e outros ingredientes. A Veggie Quesadilla é a pedida ideal para quem não come carne, vindo recheada com muito queijo e vegetais muito bem preparados, além de ser acompanhada pelos tradicionais molhos mexicanos. A porção é bem generosa, e custa só R$ 20,00

Imagem

– Chicken Taco – R$ 18,00 –  A base do taco também é a tortilla, mas preparada de um jeito diferente, para ficar mais macia. O prato vem com dois tacos abertos, facilitando para comer com talher. Se você quiser ir às origens mexicanas, feche seu taco e mande com a mão mesmo. O recheio veio em ótima quantidade, com bastante queijo, salada e muito frango. Também vem com os molhos e a quantidade também é bem satisfatória.

O cardápio conta, ainda, com vários drinks diferentes e, antes das 20h, o terceiro é de graça. Para agradar ainda mais, há a opção de cervejas de garrafa 600 ml, o que faz com que até aquele seu amigo que só quer saber de sair pra beber curta o lugar. Pra quem gosta de uma cerveja especial, a casa ainda tem uma carta com rótulos diferenciados, como, por exemplo, a Eisenbahn. Adorei o lugar: o atendimento é ótimo, Os garçons são engraçados e divertidos. A casa fica cheia, bem cheia, e o barulho fica muito alto, então o clima que paira no ar é que nem a cozinha nem os garçons vão dar conta do atendimento. Como esse restaurante é mágico, as coisas milagrosamente fluem super bem, e o fato de estar lotado não faz diferença nenhuma para os atendentes do lugar, que continuam tratando cada mesa de forma única e deixando aquele clima de alegria! Quero voltar pela terceira vez, mas dessa vez antes das 20h para provar a entrada especial do Happy Hour.

Obs: Lá é cartela individual. Perfeito para aniversários!

Obs 2: Lá tem coca! Pra mim, isso é motivo de pontos a mais!

Bom, pra falar a verdade… Eu amei e indico demais! Preço: 10/10 Atendimento: 10/10 Comida: 10/10 Ambiente: 8/10 ( Eu ainda fico um pouco incomodada com muiiito barulho)

Endereço: Rua Santa Rita Durão 309Belo HorizonteBR

Site: https://www.facebook.com/ElvisKingPub